Rodando alguns quilômetros com a nova Volkswagen SpaceFox I-Motion

8 comentários

 

Na semana passada tive a oportunidade de andar na nova Volkswagen SpaceFox 2011.  A posição elevada para conduzir o modelo é um ponto a favor para a perua. Como ex-proprietário de um Fox digo de carteirinha que é um de seus pontos postivos. A SpaceFox tem um bom espaço interno e os ocupantes viajam com um bom conforto.

Internamente a perua não lembra nem de longe o modelo lançado em 2006. É verdade que os plásticos rígidos ainda estão presentes. Entretanto, a SpaceFox agora tem um um bom painel e um quadro de instrumentos decente aliado ao bom serviço executado em sua construção. O espaço interno e o excelente porta-malas fazem a felicidade dos pais com filhos pequenos, já que há espaço de sobra para transportar todos os utensílios dos pequenos.

Mas, infelizmente a segurança para o passageiro do meio não está presente, pois, não há cinto de três pontos nem apoio de cabeça. Aliás, já passou da hora de obrigar os fabricantes de no mínimo adotarem os três apoios de cabeça para os ocupantes do banco traseiro.

Mas a grande novidade está na estética. Agora com a nova dianteira inpirada no Novo Fox– que foi na Europa copiar a dianteira do Polo – a SpaceFox ficou com aspecto mais classudo… Aliás, esta parece ser a aposta do fabricante perante aos modelos da concorrência.

 A perua equipada com o bom motor 1.6 não decepciona em desempenho. Já o câmbio ASG é emoção pura. Imagine que você está numa cidade litorânea e o bugueiro pergunta se quer um passeio com ou sem emoção. Quando me refiro a emoção os passageiros da SpaceFox não tem opção, já que a viagem será sempre emocionante, pois, será um tranco a cada troca de marchas. Nas mudanças da primeira para segunda e para terceira marcha os solavancos são maiores. 

Os trancos diminuem quando se passa a trocar as marchas manualmente.  Diz a lenda que para evitar os “soluços” é necessário se acostumar com o câmbio e que com o passar do tempo o motorista aprende a dominar a “fera”. Não foi o meu caso, já que mesmo rodando uns 200 quilômetros com o modelo, não consegui “domar” o ASG. Por isso, vai o meu conselho, se você já foi ou é proprietário de um modelo automático tome cuidado com os modelos com câmbio automatizados, pois, com certeza a diferença será gritante.

FICHA TÉCNICA

  • MOTOR
    Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 8 válvulas, gasolina/álcool, 1.598cm³ de cilindrada, que desenvolve 101cv (g)/104cv (a) de potência a 5.250rpm e torques máximos de 15,4kgfm (g)/15,6kgfm (a) a 2.500rpm
  • TRANSMISSÃO
    Tração dianteira, câmbio automatizado de cinco marchas
  • DIREÇÃO
    Pinhão e cremalheira, hidráulica
  • FREIOS
    Discos ventilados dianteiros e tambores traseiros, com ABS de série
  • SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
    Dianteira, independente, tipo McPherson, com braços de controle e barra estabilizadora; traseira, interdependente, com braços longitudinais/roda de liga leve/6 × 15 polegadas/195/55 R15
  • CAPACIDADES
    Tanque, 50 litros; de carga (passageiros e bagagem), 479 quilos


PREÇO

O novo SpaceFox 1.6 flex Sportline I-Motion é vendido por R$ 56.450. Com todos os opcionais sai por R$ 63.420. A versão básica 1.6 flex, com câmbio manual, tem preço sugerido de R$ 48.790.

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE

  • Conforto/conveniência – Direção hidráulica, ar-condicionado, gaveta sob o banco do motorista, porta-copos dianteiros, porta-garrafas nas portas dianteiras, redes nas laterais do porta-malas, abertura da tampa traseira via keyless, alerta sonoro de faróis ligados, banco traseiro com ajuste longitudinal e encosto e assentos rebatíveis, iluminação no porta-malas, vidros com comandos elétricos, retrovisores elétricos, retrovisor direito autorrebatível, chave canivete, ASG (câmbio automatizado), computador de bordo com sete funções, sensores de chuva e crepuscular, porta-luvas iluminado, para-sóis iluminados, mesas atrás dos bancos dianteiros.
  • Aparência - Porta-malas com revestimento lateral, farol duplo com moldura cromada, grade dianteira com detalhe cromado, frisos laterais, maçanetas e retrovisores na cor da carroceria, retrovisores externos com luz de seta, rack de teto, roda de liga leve aro 15 polegadas.
  • Segurança - Limpador/lavador/ desembaçador do vidro traseiro, travamento central, alarme keyless, dois apoios de cabeça traseiros, terceira luz de freio, cintos de segurança dianteiros com regulagem de altura, imobilizador, airbag duplo, ABS.OPCIONAIS
    Revestimento interno em couro, volante multifuncional, I-System, CD Player com USB, sensor de estacionamento, volante com regulagem de altura e distância e banco traseiro bipartido.


Fonte | Volkswagen
Fotos | Volkswagen/Divulgação

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Quer saber mais?

Artigos

Artigos relacionados que vão te interessar

Ver mais

+ Deixe um comentário

Comentários

  • 1

    Avatar de Júlio !
    Júlio | 2 estrelas

    Não há como comparar automático com automatizado, o primeiro é mais confortável, às custas de um aumento considerável de consumo, o que não ocorre no automatizado, que gasta igual ao manual. Definitivamente vc não se acostumou o cambio. Tenho uma Meriva easytronic e em dois dias de carro já dirigi sem trancos indesejáveis.

  • 2

    Avatar de Filipe !
    Filipe | 2 estrelas

    Tenho vontade de dirigir um carro com câmbio automatizado para ver com se comporta. Acredito que o maior problema seja na hora de dar ré, onde o motorista tem que dosar o acelerador muito bem.

  • 3

    Avatar de Rosalvo !

    Achei esse novo Spacefox muito bom. Pena que custa quase o dobro do que deveria custar kkkk.

    Dirigi uma Meriva Easytronic e gostei muito do seu comportamento.

    Também dirigi um Stilo Dualogic e andei um pouco com um Fiat Linea e achei também que não é tão ruim.

    Dirigi também um Polo i-motion e gostei muito, mais até do que os outros dois.

    A questão é que a gente não pode ir testar o carro achando que ele vai se comportar como automático, se for é decepção na certa. O automatizado tem que ser encarado como outro tipo de cambio, que mesmo não sendo tão suave quanto uma caixa automática será bem melhor do que trocar as marchas manualmente.

    Abraços!

  • 4

    Avatar de Júlio !
    Júlio | 2 estrelas

    Os dualogic e o I-motion (que no fundo são o mesmo sistema eletro-hidráulico da Magnetti Marelli) são mais difícies de manobrar, pois só soltam a embreagem ao acelerar. Já o Easytronic (motores de passo fabricado pela Luk alemã), ao soltar o freio o carro já anda, lembrando um automático.

  • 5

    Avatar de Henrique Alves !

    Por coincidência, ontem eu peguei um taxi Fox I-Motion. Como passageiro, o que eu senti foi semelhante a um carro manual. O carro para de acelerar como se estivesse pisando na embreagem e depois volta a acelerar. Se o taxista não recuasse o pé na hora da troca um pouco dava tranco.

    Legal é o barulho do equipamento funcionandio rsrs

  • 6

    Avatar de Júlio !
    Júlio | 2 estrelas

    A bomba do sistema hidráulico dos Dualogic liga vez em quando fazendo esse barulhinho.

  • 7

    Avatar de Nelson !
    Nelson | 2 estrelas

    Comprei um Sportline mecânico que vai chegar daqui 15 dias, dirigi muito um Gol 93 que era de meu pai desde 0km por falta de peças fui obrigado a vender, o Gol era um ótimo carro apesar de ser basicão.

  • 8

    Avatar de Zenilton !

    Dirigi o sportline i-motion e nao achei tao gritante assim a diferença de um cambio automatizado para um automatico (tipo um Civic que eu estava acostumado a dirigir). Na verdade tudo é questão de adaptação, uma vez que logo de cara, no testdrive, eu ainda dava aqueles solavancos nas trocas de marcha. Hoje não mais. O carro é bom, chamando a atençao o interior luxuoso para a categoria. Sucesso

Comentar

Para deixar um comentário é necessário se identificar: ENTRA ou conecte-se com Facebook Connect

Publicidade

Seções

Caterham

WSL Weblogs SL