Jovens Senhores: Volkswagen Voyage

11 comentários

Hoje retomaremos a série Jovens Senhores falando de um carro muito especial para algumas pessoas, o Volkswagen Voyage. Para algumas pessoas, pois para mim nunca passou de um Gol com “bunda e eu não sou muito fã de carros da Volkswagen, principalmente os filhos do projeto BX.

Mas a voz do povo é a voz de Deus e o povo gosta do Voyage, que tirando a minha birra com os Volks dos anos 80, era um bom carro. Nascido do mesmo projeto que originou o Volkswagen Gol, o Voyage entrou no mercado no final de 1981 e logo fez muito sucesso.

O modelo corrigia alguns dos pontos ruins do seu irmão mais velho, como o motor refrigerado a ar com baixa potência e o ruído interno intenso que quase ensurdecia os ocupantes durante viagens mais longas.

Seu motor era o mesmo do Volkswagen Passat. Era uma unidade refrigerada à agua com 1,5 cm³ de capacidade volumétrica e que em conjunto com o bem escalonado cambio de 4 marchas deixava o “sedanzinho” esperto, bem ao gosto do brasileiro.

O Voyage foi eleito o “Carro do Ano” pela revista Autoesporte em 1982, provando que suas qualidade eram boas o bastante para encantar os consumidores que tinham como única opção no segmento o Chevrolet Chevette, pelo menos até a chegada do Fiat Oggi.

Ainda em 1982, a Volkswagen iniciou as exportações do modelo para diversos países da américa latina. Ganhava nomes diferentes como Gacel, Amazon e na versão exportada para a Argentina que recebia motor 1.9 Diesel se chamava Senda.

Em 1983 o modelo recebia o motor MD 270, uma unidade que equipava o emblemático Passat TS e que até então era o motor mais potente da linha Volksvagen com 81 cv de potência e que deixava o modelo ainda mais atraente.

Ainda neste ao o Voyage ganhou a sua primeira versão especial, o Voyage Plus, que vinha com faróis de neblina, pára-choques na cor do veículo e calotas diferenciadas. O Voyage ganhou ainda neste ano a sua versão de menor sucesso, a 4 portas, que como todos os outros carros da época era associada a “carro de praça”.

O ano de 1984 reservou ao Voyage novidades. O motor 1.5 litro foi descontinuado e todas as versões passaram a contar com o motor 1.6. A famosa versão especial Los Angeles que tinha acessórios esportivos e a pintura em azul metálico exclusiva da versão.

Ainda neste ano as lanternas traseiras recebem uma ligeira modificação e as ponteiras do pára-choques são trocadas por unidades maiores e com melhor acabamento, que deixou o carro com um aspecto bem melhor, semelhante ao recém lançado Santana.

No ano de 1985 a Volks resolveu dar ao Gol um “upgrade” e deixa-lo parecido com o Voyage, que a partir daí teve a vida ofuscada pelo seu irmão sem “bunda”. O Gol ganhou a mesma motorização do Voyage, a mesma frente, antes só aplicada a versão GT e o mesmo acabamento interno.

Como novidade para o Voyage tínhamos o cambio de 5 marchas oferecido como opcional, mas que rapidamente tornou-se um item presente em todos os veículos comprados devido a economia que proporcionava.

O Voyage ganhou a versão GLS em 1986, que fez muito sucesso até o fim dos seus dias. Era equipada com bancos Recaro, motor 1.8 proveniente do Santana, rodas de liga leve, frisos largos, pára-choques na cor do veículo, farois de milha, vidros elétricos entre outras coisas.

O primeiro facelift do carro chegou em 1987 junto com o de toda a família BX. Recebeu cobertura de plástico para os pára-choques, novo conjunto frontal com novos farois, grade, capô, para-lama e painel frontal. Na traseira poucas modificações, resumido-se na cobertura do pára-choque.

O interior permaneceu o mesmo, assim como a mecânica que recebeu como unica alteração a inclusão do cambio de 5 marchas como item de série para todas as versões. Suas versões agora eram a C, CL, GL e GLS.

Em 1988 o modelo recebe novo interior, com melhor acabamento, uma reivindicação antiga dos fãs do modelo. A versão GL ganhava um painel novo com comandos satélite, acabamento lateral das portas que se encaixava com o painel e possuía saída de ar para o quebra vento e bancos com revestimento de boa qualidade.

Nesta época ainda era comum a produção de carros “monocromáticos” e o Voyage GL marrom metálico era um dos preferidos pelos consumidores pelo acabamento interno que combinava com a parte externa.

No ano anterior, a Volkswagen começa a exportar o modelo para os Estados Unidos e Canadá com um nome hoje muito conhecido pela população, Volkswagen Fox. O modelo passou a ser o carro mais barato nos EUA, onde fez um relativo sucesso.

O modelo precisou passar por mais de 100 modificações para ser vendido nos EUA. As mais visíveis eram a dianteira com faróis que atendiam as normas locais, repetidores de seta no para-lama, luz de neblina na traseira e o motor 1.6 recebia injeção eletrônica Bosch KE-Jetronic.

1989 foi um ano fraco, onde o modelo recebeu apenas novas calotas integrais para o modelo GL, em substituição ao modelo antigo que apesar de mais bonito não resistiam aos buracos das nossas vias.

O Voyage até então intocável pela associação da Ford a Volkswagen, passa a receber o motor AE-1600. Os consumidores não aprovaram a mudança e a Autolatina resolveu o problema lançando outra edição do Voyage Plus.

Esta versão foi bem vendida, sendo bem comum na cor prata. Possuía painel de instrumentos com conta giros, estofamento com revestimento diferenciado, volante do Santana e como opcional tinha rodas de liga leve aro 14.

Ainda neste ano Voyage passa a ser fabricado fora do Brasil pela primeira vez. A Argentina Chrysler-Fevre S.A, comprada pela VW em 1982 escolheu o modelo para substituir o já cansado VW 1500 (No Brasil, Dodge 1800 ou Polara). Era fabricado nas carrocerias de 2 e 4 portas e em versões semelhantes ao Brasil.

Em 1991 o Voyage recebe nova frente e continua a ser fabricado com o motor AE 1.6. A unidade da Volkswagen da Via Anchieta fabricava algumas unidades do modelo 4 portas ainda, porém pouco eram vistos pelas ruas.

Em 1992 somente mudanças pequenas. Catalizador para todas as versões e a versão de 4 portas foi descontinuada. Infelizmente o fim do carro estava próximo, pois a Volkswagen já trabalhava a todo vapor no projeto AB9 e não era previsto um substituto.

1993 e 1994 foram os últimos anos do pequeno sedan. Condenado à morte quando a Volkswagen decidiu não projetar um sucessor, o Voyage recebeu uma versão especial
muito cobiçada pelos apaixonados pelo veículo, a Sport.

As derradeiras unidades foram fabricadas no final de 1994 na Brasil e em 1995 os poucos vendidos eram importados da Argentina. Eram encontras apenas as versões GL 1.8 e Special, esta sempre com 4 portas.

A Volkswagen lançou o Polo Classic, que era importado da Argentina, para substitui o Voyage, porém este nunca alcançou o mesmo resultado, apesar das boas qualidades e evoluções que trazia sobre seu irmão mais velho.

A saga do Voyage não terminou no longínquo 1995. Em 2009, com base na terceira plataforma da família Gol, a NF, foi lançado um novo Voyage. Suas linhas não são tão bonitas quanto o Voyage original e seu preço nas versões mais completas costuma espantar os interessados, porém tem tudo para ser lembrada no futuro como antepassado.

Fontes | Homepage do Voyage, Clube do Voyage

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Quer saber mais?

Artigos

Artigos relacionados que vão te interessar

Ver mais

+ Deixe um comentário

Comentários

  • 1

    Avatar de INGO !
    INGO | 2 estrelas

    belo post. aquelas rodas bbs da ultima fotos são lindas,nao sei pq insist'em por orbitais nos voyages.

  • 2

    Avatar de faku !
    faku | 2 estrelas

    Gostaria fazer uma observacao: Na Argentina (onde eu moro) o Voyage foi lancado no ano 1983 com o nome "Gacel", na versao 4 portas, e countinuou sendo fabricado até o ano 1996, mas com o nome "Senda" que comecou sendo uma versao economica do Gacel. Estava equipado com motores gasolina 1,6 e diesel 1,6 e nunca se vendeu no mercado argetino como importado ja que sempre foi fabricado aqui. O nome Amazon era reservado a outro paises como Uruguay, Perú e Bolivia.

  • 3

    Avatar de William Reis !

    Foi um dos melhores carros dos anos 80, tive um 85 uma Patari 86, 89, 92, e outras marcas, hoje possuo uma uno guerreira 96, comprei um voyage 85 super alinhado com detalhes a ser restaurado, e pretendo fazer dele um carro para curtir eventos etc.

  • 4

    Avatar de Junior !
    Junior | 2 estrelas

    Tive um voyage 83 muito inteiro, unico dono, carro excelente, sou fã numero 1 do vw voyage carro inesquecivel e muito bonito e resistente tbm!! Tenho sonho ainda de ter um para colecionar.

  • 5

    Avatar de Alex Baravelli !

    Tenho um "Los Angeles" 1984 todinho original... Só para passear...

  • 6

    Avatar de vanderlei !

    comprei um voyage 85 marrom monocromatico o carro é lindo mais não estou achando alguns acabamentos internos da cor marrom. se alguem souber de algum lugar que venda essas peças favor mandar pro meu email , obrigado! estou gostando muito do carro.

  • 7

    Avatar de Eder !
    Eder | 2 estrelas

    tenho um voyage 85, viajo com ele, vou pra baladas, saío com minha familia, é um carro muito gostoso de dirigir, esse já é o segundo, só troco se for por outro voyage

  • 8

    Avatar de Francisco !

    Temos na familia um Voyage 86 Plus comprado de segundo dono. Uma verdadeira jóia. Gosto demais do carro.

  • 9

    Avatar de valberto !

    comprei um voyage 89 estou pensando em da um grau nene comprei do segundo dono motor impecavel mas não sei se passo ele pra frente estou indecizo

  • 10

    !
    | 1 estrelas

    parabéns pela matéria...navegando pela web me deparei com esta materia e nem acreditei....tem a foto do meu ex Voyage....ele é o amarelinho....ano 82/82 1.5 4 marchas.....vendi ele faz 2 meses.....muito conservado...estava no encontro do clube do estacionamento do extra marginal.....grande abraço.

Comentar

Para deixar um comentário é necessário se identificar: ENTRA ou conecte-se com Facebook Connect

Publicidade

Seções

Caterham

WSL Weblogs SL